10 de julho de 2020
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

FEIRA DE SANTANA - 22/03/2020

Campanha nacional de vacinação contra influenza inicia nesta segunda-feira, 23

Campanha nacional de vacinação contra influenza inicia nesta segunda-feira, 23

A campanha nacional de vacinação contra influenza inicia nesta segunda-feira, 23, em todas as unidades básicas de saúde e de saúde da família em Feira de Santana. A Prefeitura, através da Secretaria de Saúde, já recebeu 42 mil doses para a campanha e assegura o abastecimento nas unidades de saúde.

A campanha segue até o dia 22 de maio, tendo 9 de maio como dia D de mobilização nacional. A meta é imunizar pelo menos 90% de cada um dos grupos prioritários.

A primeira etapa da campanha atende exclusivamente pessoas acima de 60 anos de idade e trabalhadores da saúde, que devem procurar as unidades de saúde entre os dias 23 de março a 15 de abril.

“Essas pessoas que fazem parte da primeira etapa da campanha podem procurar a unidade de saúde caso percam o prazo, mas as outras pessoas que se enquadram no público alvo da próxima etapa não podem antecipar a vacinação”, explica Simone Neves, coordenadora do setor de Imunização.

Na segunda etapa da campanha, que começa dia 16 de abril a 8 de maio, professores de escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento podem ser vacinados.

A última etapa da campanha abrange crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias), pessoas de 55 a 59 anos de idade, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, gestantes, mulheres em período pós parto, povos indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Segue entre os dias 09 a 22 de maio.

Como estratégia para antecipar a proteção contra a influenza e reduzir os impactos sobre os serviços de saúde, devido o atual cenário de combate ao coronavírus e seus sintomas semelhantes com a influenza, o Ministério da Saúde decidiu antecipar a campanha em trinta dias.

“Traçamos diversas estratégias para evitar aglomerações nas unidades de saúde, visto que a vacina não oferece proteção ao coronavírus mas com o atual cenário do país sabemos que a busca pela vacina será grande”, afirma a enfermeira referência técnica em imunização da Atenção Primária a Saúde, Vanessa Cajuí.

Ainda de acordo com ela, a vacinação estará sendo realizada com o apoio dos agentes comunitários de saúde que serão essenciais para reduzir o fluxo de pessoas nas unidades de saúde.

“As unidades deverão eleger uma dia para cada agente levar as pessoas cadastradas em sua micro área que se enquadram no público alvo da campanha. Todas as equipes estão sendo orientadas a realizar ações educativas de prevenção ao Covid-19 e organizar o fluxo caso haja aglomerações”, pontuou Vanessa Cajuí.

Pessoas que moram em áreas descobertas, ou seja, não possuem cadastro com agente comunitário de saúde, podem se dirigir a unidade conforme período estabelecido para cada público alvo.

Não há contraindicação para a vacina, porém pessoas com febre devem adiar a vacinação e pessoas com alergia a proteína do ovo devem comunicar ao profissional de saúde.  

Indivíduos com sintomas de resfriado ou gripe devem se dirigir a unidade de saúde utilizando máscara ou solicitar na recepção. A Secretaria de Saúde orienta que evitem levar acompanhantes, exceto em casos necessários, como: menores de 18 anos, idosos, pessoas com dificuldade de locomoção e necessidades especiais, entre outros.

Outra estratégia traçada pelo Governo do prefeito Colbert Martins Filho na tentativa de reduzir o fluxo de pessoas e aglomerações nas unidades de saúde foi enviar um comunicado para as empresas que possuem trabalhadores da saúde, solicitando a quantidade de funcionários para que sejam encaminhadas as doses.

“Os próprios profissionais de saúde dessas empresas irão administrar a dose”, explica Simone Neves.

Influenza

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também pode causar pandemias.

A infecção pode levar ao agravamento e óbito, principalmente em indivíduos que apresentem fatores ou condições de risco, como por exemplo: crianças menores de cinco anos de idade, gestantes, pessoas com mais de 60 anos de idade, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Sintomas

O período de incubação da doença varia entre um e quatro dias. Os sinais e sintomas são muito variáveis, podendo ocorrer desde a infecção assintomática, até formas graves da doença.

A influenza sazonal, quando ocorre aumento de casos entre as estações climáticas mais frias, inicia-se geralmente com febre alta, seguida de dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, coriza e tosse. A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Os sintomas respiratórios como a tosse e outros, tornam-se mais evidentes com a progressão da doença e mantêm-se em geral de três a cinco dias após o desaparecimento da febre.

Alguns casos apresentam complicações graves, como pneumonia, necessitando de internação hospitalar. Devido aos sintomas em comum, pode ser confundida com outras viroses respiratórias causadoras de resfriado.

Já a Síndrome Gripal (SG) se caracteriza pelo aumento súbito da febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há a necessidade de hospitalização. Nesta situação, denominada Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), é obrigatória a notificação às autoridades de saúde.

Transmissão

A transmissão ocorre principalmente por partículas eliminadas por pessoas infectadas, como gotículas de saliva ao falar, tossir ou espirrar.

Prevenção

A SG e a SRAG podem ser prevenidas por meio da vacina contra a influenza, oferecida de forma gratuita através do Sistema Único de Saúde. Outras formas de prevenção é a rotina de cuidados respiratórios ao tossir ou espirrar, e a higiene frequente das mãos, evitando colocá-las na boca. SECOM

Enquete

Você acredita que teremos uma vacina contra o Coronavírus (COVID-19) neste ano de 2020?

*Enquete encerrada.
  • 16%
  • 30%
  • 55%
  • 0%