04 de março de 2024
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

ELEIÇÕES - 08/10/2023

Eleição em Feira terá fator Jerônimo como novidade na possível reedição da batalha dos "Zés"

Eleição em Feira terá fator Jerônimo como novidade na possível reedição da batalha dos

Mesmo após três disputas envolvendo Zé Ronaldo (União) versus o deputado federal Zé Neto (PT), Feira de Santana deve reeditar o embate em 2024. De um lado, o ex-prefeito feirense não desmente o interesse, mas descarta tratar do assunto. Do outro lado, o petista já teve seu nome aprovado pelo diretório do partido e é o pré-candidato do grupo oposicionista na cidade. 

Ao todo, Zé Neto já tentou o comando da cidade seis vezes, sendo que três dessas derrotas foram no primeiro turno contra Zé Ronaldo. Para o cientista político Cláudio André, o fato do governador Jerônimo Rodrigues (PT) ter tido ligação com a Princesinha do Sertão pode gerar impacto na eleição. 

“É a primeira vez desde João Durval que a Bahia tem um governador ligado a Feira de Santana. Jerônimo tem base na cidade, por ter sido professor da UEFS. Por isso, Feira deve ser tratada como prioridade. Até porque, é o segundo maior colégio eleitoral. Ambos os lados vão colocar todas as fichas para vencer na cidade”, analisou, em entrevista ao Metro1.

“Gosto apetitoso” 

Ao Metro1, o pré-candidato petista disse que uma vitória  em Feira de Santana terá um “gosto apetitoso”. O deputado federal fez questão de ressaltar que o governo estadual já investiu mais de R$160 milhões na cidade. 

“A eleição de Feira é uma das mais importantes porque Jerônimo tem uma raiz muito forte na cidade. Ele não é natural da cidade, mas é como se fosse feirense de coração. Com essa carga, Feira vai ter uma importância natural por ser a segunda maior cidade, mas também para Jerônimo vai ter um gosto mais apetitoso”, afirmou.

Já o ex-prefeito feirense disse que tem “visitado muita gente” para sondar a viabilidade de sua candidatura.  “Eu tenho dito que só defino minha candidatura entre dezembro e janeiro, porque uma candidatura ao Executivo precisa de um apoio. Não é só um desejo pessoal. Eu tenho visitado muita gente, ouvindo e escutando as pessoas, mas não é uma questão de desejo pessoal. Precisa ser respaldado pela sociedade em análises técnicas de qual nome o povo quer”, afirmou.

Terceira via?

Ao Metro1, Zé Ronaldo ainda defendeu a unificação do grupo. Lembrou que, no pleito de 2020, houve uma pulverização de candidatura, o que, na visão dele, levou a eleição municipal ao segundo turno. Entretanto, o deputado estadual Pablo Roberto (PSDB), que integra o grupo governista da cidade, também deseja disputar a prefeitura feirense. 

“O prefeito [Colbert Martins, do MDB] tem pregado o discurso de unidade, mas enquanto eles não decidem qual caminho, eu já começo a conversar. Política não pode ser decidida no ano eleitoral. Não é só escolher partido, montar chapa. É criar um plano para a cidade”, ressaltou. ”Precisamos de nomes novos para não ficar nessa mesma disputa em Feira. Eu nunca escondi que tenho o sonho de ser prefeito de Feira”, acrescentou Pablo Roberto.

Poe Metro 1

Mais notícias