26 de novembro de 2020
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

EDUCAÇÃO - 16/02/2019

Alagoinhas aposta em modelos avançados de ensino para elevar os índices de alfabetização

Alagoinhas aposta em modelos avançados de ensino para elevar os índices de alfabetização

No último mês, o secretário municipal de Alagoinhas esteve em Singapura, com uma agenda que incluiu visitas a órgãos do governo, a escolas inovadoras, startups e instituições de ensino. Tácio Lobo foi escolhido, entre profissionais de todo o Brasil, para se juntar ao grupo de outros 21 educadores que visitaram o país referência em Educação no mundo.

De volta ao Brasil, o secretário responsável pela pasta dá continuidade à busca por avanços na Educação Básica e fala, em entrevista, sobre as iniciativas da Secretaria de Educação em Alagoinhas.

 

Nas últimas semanas, representantes de Alagoinhas têm participado de eventos reconhecidos nacional e internacionalmente. Como se deu essa seleção do município e quais foram os encaminhamentos gerados a partir dessa participação?

Tácio Lobo – A seleção do município se deu pela Fundação Lemann. Ao estarmos em contato com o que de melhor está acontecendo no mundo para alcançar uma educação de excelência e com resultados já comprovados, tivemos ainda mais clareza do que realmente funciona e de quais são as peças fundamentais neste processo.

As impressões principais após o nosso retorno são de que é preciso fazer muito ainda para chegar a um sistema educacional que possa ser comparado aos melhores países do mundo. Entretanto, ficou claro que o caminho para chegar lá é acessível, plenamente possível de ser trilhado.

Por isso, na Semana Pedagógica deste ano, tratamos de algumas questões fundamentais para impulsionar o desenvolvimento dos nossos alunos. Então já temos um cronograma de atividades previsto que deve ser cumprido pelas unidades de ensino, reduzindo a evasão escolar, incorporando novas práticas às salas de aula e introduzindo metodologias que contribuam para o processo de ensino-aprendizagem.

 

Quantos brasileiros foram selecionados para integrar a comitiva que foi a Singapura? No caso da ida a Sobral, na semana seguinte, também houve um processo de seleção?

Tácio Lobo – Para Singapura, foram escolhidos 22 brasileiros que fazem parte da rede de líderes da Fundação Lemann. Destes, apenas 2 pertenciam a municípios baianos. Fui como secretário de educação de Alagoinhas e estive junto com Janaina Barros, coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação de Seabra e vencedora do prêmio “Educador Nota 10”. A Fundação selecionou o grupo baseada no alinhamento profissional com objetivo da viagem, que era entender o sistema educacional de Singapura com foco na formação de professores.

Para a ida a Sobral, que tem hoje a maior nota do IDEB, entre os municípios brasileiros, um dos critérios adotados foi a busca por cidades que tivessem a Educação como prioridade na Administração Pública. Alagoinhas foi uma das 5 cidades – entre os 417 municípios da Bahia  – a contar com a iniciativa, ao lado de Camaçari, Eunápolis, Mata de São João e Vitória da Conquista. O prefeito Joaquim Neto foi entrevistado e a cidade foi escolhida porque o grupo entendeu que a gestão municipal, aqui, tinha uma preocupação muito grande com a alfabetização.

 

Qual foi a importância dessas visitas e qual é a sua impressão depois de voltar para o interior baiano?

Tácio Lobo – Foi muito interessante estabelecer relações com os representantes da educação de outros lugares, porque isso nos permitiu dialogar, trocar experiências e aprender sobre iniciativas que têm gerado resultados efetivos.

As impressões principais, após o retorno, são de que é preciso avançar ainda mais. Sabemos que os resultados, em Educação, não são imediatos, mas é através do incentivo diário, do trabalho de profissionais competentes e capacitados, que vamos mudar essa realidade. Temos parcerias firmadas com instituições reconhecidas, temos planejamento escolar, estamos dando continuidade às melhorias estruturais para as unidades escolares, fizemos alguns acompanhamentos para o diagnóstico do ensino nas escolas, com apoio pedagógico e metodologias de incentivo à leitura, então podemos aprender com os acertos e erros cometidos e encurtar nosso caminho para uma educação de excelência.

 

Enquanto secretário de Educação, você acha que algumas iniciativas de ordem prática, do sistema educacional de Singapura, poderiam ser incorporadas à realidade das salas de aula de Alagoinhas, aqui no Brasil? Se sim, poderia citar exemplos?

Tácio Lobo – Muitas iniciativas podem ser incorporadas à nossa realidade, desde que tenham as devidas adaptações para nosso contexto e realidade. Mais do que incorporá-las, na verdade, eu acredito que a grande chave esteja em entender as premissas por trás do sistema educacional de Singapura. Podemos dar como exemplo o foco incansável do país na formação inicial e continuada dos melhores professores para estarem nas salas de aula. Isso é feito através de uma instituição de ensino superior de excelência e de uma academia de formação continuada dos professores.

Também é interessante notar que o país do Sudeste Asiático adota, como prioridade máxima, tudo o que envolve a educação, seja na perspectiva do governo ou dentro das organizações familiares. Para Singapura, a educação é peça-chave como estratégia de desenvolvimento social e econômico.

Então precisamos trazer essa discussão para a centralidade das nossas ações, aqui no Brasil. A educação transforma realidades, mas é preciso investimento, valorização dos profissionais, programas de formação, projetos, estrutura, metodologias aplicadas.  E é isso o que temos buscado aqui em Alagoinhas.

Outro desafio é a participação da família no processo educacional dos alunos e a formação contínua dos nossos profissionais. Demos um grande salto, nos últimos anos, nesse sentido, com o projeto que está sendo executado na cidade pelo Instituto Chapada em parceria com a BSC Copener e agora, com o “Educar pra Valer”, que contribuiu para que a educação de Sobral se tornasse uma das melhores do Brasil. Então temos ações em andamento e já estão em discussão, com a nossa equipe pedagógica, formas de aplicar novas ações e adaptá-las à realidade das salas de aula de Alagoinhas.

 

Alagoinhas aplicará o modelo educacional de Sobral, 1º lugar no Ideb, em suas ações?

Tácio Lobo – O programa “Educar pra Valer”, do qual Alagoinhas foi selecionada para participar, visa prestar cooperação técnica nas áreas pedagógica e de gestão, tendo como base os resultados referenciados na experiência da cidade cearense de Sobral, primeira colocada do país no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

O fato de termos sido selecionados, entre as 25 cidades do Brasil que contam com a iniciativa é, para nós, muito significativo. Sem dúvidas, o programa trará contribuições efetivas para avanços nas nossas escolas, mas a intenção é de que, com o apoio da Associação Bem Comum e da Fundação Lemann, responsáveis pela iniciativa, Alagoinhas encontre seu próprio modelo de sucesso, conquistando boas avaliações e proporcionando uma educação de qualidade aos alunos da rede municipal.

 

Quais são os principais desafios, a partir de agora, para que o município alcance as metas e o que a Administração Municipal fará para que os alunos de Alagoinhas tenham acesso a uma educação de excelência?

Tácio Lobo – Entre os principais desafios e metas está oferecer uma estrutura de qualidade, de escolas que atendam às necessidades dos alunos com um corpo de professores qualificados. Temos trabalhado com a reforma de unidades escolares e as obras de 5 novas creches já estão em andamento no município, gerando mil novas vagas à Educação Infantil ainda este ano.

No que se refere à linha pedagógica, o objetivo é elevar para 70%, até 2020, o índice de alfabetização das crianças. Na última avaliação, o município apresentou um resultado de 3,9 no IDEB para Anos Iniciais, abaixo da meta estipulada. Com a participação em programas como o “Educar pra Valer”, a formação continuada do Instituto Chapada de Educação e Pesquisa (ICEP) e incorporando novas ferramentas às práticas em sala de aula, com projetos de incentivo à leitura, novas diretrizes curriculares e a aproximação entre professores, diretores, gestão escolar, equipe pedagógica e alunos, a Secretaria de Educação pretende garantir um sistema educacional inclusivo e de qualidade nas diferentes modalidades de ensino.

  Secretaria Municipal de Comunicação - SECOM

Enquete

Você acredita que teremos uma vacina contra o Coronavírus (COVID-19) neste ano de 2020?

*Enquete encerrada.
  • 16%
  • 30%
  • 55%
  • 0%

Mais notícias