16 de outubro de 2021
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

CORONAVÍRUS - 18/03/2021

Deputados baianos recebem com perplexidade morte de Major Olímpio

Deputados baianos recebem com perplexidade morte de Major Olímpio

Os deputados federais baianos de esquerda e direita se uniram em manifestações de solidariedade para a família após a morte do senador Major Olímpio (PSL), vítima da Covid-19 nesta quinta-feira (18). Tão logo a notícia foi divulgada nas redes sociais do paulista, que rompeu nos últimos meses com o bolsonarismo, parlamentares de oposição e situação manifestaram condolências. A notícia foi recebida com perplexidade no Congresso Nacional, já que, aos 58 anos, Olímpio era considerado jovem e com bom condicionamento físico.

O deputado federal baiano Jorge Solla (PT) ressaltou que teve divergências com Olímpio no passado, mas desejou "paz e conforto para a família e amigos". "No debate de ideias, discordamos democraticamente. Infelizmente, o vírus não negocia com ninguém", ressaltou.

O deputado Daniel Almeida, do PCdoB, foi outro que se manifestou. "Lamento o falecimento do senador Major Olímpio, em decorrência da Covid-19. Presto minhas condolências à sua família. Cuidem-se de si e dos seus!", alertou o baiano.

A presidente do PSB baiano, Lídice da Mata, afirmou que prestou sentimentos a família do senador e a todos "que sofrem a dor da perda do ente querido".

Manifestaram condolências ainda os governistas Cacá Leão (PP) e Arthur Maia (PP). A presidente do PSL na Bahia, deputada federal Dayane Pimentel, afirmou que "a morte precoce do senador Major Olímpio é uma perda irreparável, ainda mais se observadas as circunstâncias dramáticas em que vivemos nesta pandemia que, infelizmente, o vitimou".

O ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, disse que "o Parlamento brasileiro perdeu um integrante que sempre lutou pelos seus ideais". "Que Deus dê muita força aos familiares e amigos do senador neste momento de profunda tristeza", postou.

Olímpio ganhou projeção nacional quando gritou "Vergonha" durante cerimônia de posse de Lula como ministro da Casa Civil. Ele também foi uma das figuras mais importantes para a ascensão do bolsonarismo no Brasil, mas rompeu com o movimento meses depois.

Ele foi diagnosticado com o vírus no dia 2 de março e, sem seguida, intubado duas vezes - uma no dia 6 de março, da qual se recuperou e foi extubado no dia 9, e a segunda no dia 10. O senador estava internado em São Paulo e nos últimos meses, o senador fez várias declarações a favor da vacinação como única forma de acabar com a doença.

O parlamentar deixa esposa e dois filhos. Ele era natural de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo, Olímpio completaria 59 anos em 20 de março. Informações por b News

Mais notícias