21 de abril de 2024
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

CARNAVAL - 11/02/2024

Qual a Engenharia por trás do Carnaval? Especialista explica

Qual a Engenharia por trás do Carnaval? Especialista explica

O Carnaval é a festa de rua mais popular do Brasil. Ele leva milhões de pessoas às ruas de várias cidades brasileiras. O que muita gente desconhece é o papel que as Engenharias desempenham para garantir a viabilidade de uma festa com tamanhas proporções, como a que acontece em Salvador, quando é necessário garantir infraestrutura segura e adequada para receber um grande número de pessoas. 

 

Engenheiro eletricista e professor de Engenharia da Universidade Salvador (UNIFACS), Thiago Caldas afirma que as diversas áreas da profissão atuam em muitos segmentos durante a festa. “Os engenheiros desempenham papéis importantes durante o Carnaval de Salvador, desde a construção e manutenção das estruturas dos trios elétricos, palcos dos camarotes até o planejamento de segurança, transporte, som, iluminação e logística ao longo do trajeto, garantindo que o evento aconteça de forma segura e eficiente”, conta o especialista. 

 

Os profissionais de Engenharia podem estar envolvidos também na criação e implementação de técnicas para lidar com desafios específicos do Carnaval, como no controle de multidões e gestão de resíduos. A festa momesca exige a participação ativa de profissionais da Engenharia Civil, Elétrica, Mecânica, de Segurança e Ambiental, por exemplo. “Os engenheiros devem ter habilidade de gestão de projetos, trabalho em equipe, e capacidade de tomar decisões rápidas e eficientes em um ambiente dinâmico e de alta pressão, como o Carnaval de Salvador”, complementa Caldas.  

 

A engenharia da segurança 

 

Se engana quem pensa que a segurança nos circuitos da folia exige apenas a participação de policiais e da Guarda Civil. Uma das principais atuações do engenheiro nos bastidores do Carnaval é o planejamento e implementação de medidas para garantir a estabilidade da segurança das estruturas temporárias, como trios elétricos, palcos e arquibancadas. Assim, são necessárias rigorosas inspeções dessas estruturas antes mesmo do início do evento, garantindo que elas estejam devidamente ancoradas e dimensionadas para suportar o peso dos equipamentos e do público.  

 

“Os engenheiros devem colaborar, também, com as autoridades locais e as equipes de segurança para desenvolver planos de evacuação e contingência, garantindo que haja protocolos claros para lidar com emergências, como incêndios, tumultos ou desabamento”, sinaliza o professor da UNIFACS, integrante do Ecossistema Ânima.  

 

A atuação dos profissionais da área se estende, também, à garantia de segurança das instalações elétricas do Carnaval, especialmente na iluminação e no som. São eles os profissionais responsáveis pelo projeto e dimensionamento adequado das instalações elétricas, levando em consideração a demanda de energia para iluminação e equipamentos de som e dimensionando corretamente cabos, disjuntores, quadros elétricos e outros componentes.  

 

O engenheiro supervisiona, ainda, a montagem e instalação dessas estruturas, além de atuar na realização de testes e inspeções, garantindo que tudo esteja funcionando de forma adequada e segura, desde a continuidade dos circuitos até a proteção contra curtos-circuitos e sobrecargas. “E durante o evento, os engenheiros precisam estar de prontidão para lidar com quaisquer problemas elétricos que surjam, garantindo a operação contínua da iluminação e do som”, diz Thiago Caldas. 

 

Sustentabilidade 

 

Nos tempos atuais, cada vez mais, tem se falado em sustentabilidade em todos os segmentos. E isso não é diferente no Carnaval. Através da Engenharia Ambiental, é possível a criação de um planejamento de infraestrutura sustentável, com uso de materiais sustentáveis na construção das estruturas temporárias do Carnaval e implementação de eficiência energética, como iluminação LED de baixo consumo. Os engenheiros também são importantes na gestão de resíduos, desde a coleta seletiva até a reciclagem dos resíduos gerados durante o evento. 

 

Thiago Caldas também chama a atenção para o papel do engenheiro em uma mobilidade urbana sustentável. “Isso se dá por meio de um planejamento de incentivo ao uso de transporte público, bicicletas e outras formas de mobilidade sustentável para reduzir o congestionamento e as emissões de gases do efeito estufa associadas ao deslocamento dos foliões durante o Carnaval”, finaliza o docente. 

Por Assessoria

Mais notícias