20 de maio de 2019
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

BRASIL - 13/05/2019

Hospital é multado por fazer laqueadura em mulher grávida

Hospital é multado por fazer laqueadura em mulher grávida

Um médico e o hospital Rede D’Or São Luiz, na zona sul de São Paulo, foram condenados a dividirem o pagamento de multa de R$ 10 mil por danos morais contra Michele Maria da Silva. Há 10 anos ela fez uma cirurgia de laqueadura e descobriu, um mês depois do procedimento, que estava grávida. Ao julgamento ainda cabe recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Momentos antes da operação, após o médico já ter a remarcado por “problemas pessoais”, conforme o UOL Notícias, Michele estava com o ciclo menstrual atrasado. Ela conta que comunicou ao médico. “‘Ele riu e disse: só faltava você estar grávida’. E prosseguiu com a cirurgia”, relata.

Para a advogada da paciente, Melissa Yumi Baraldi, o médico “assumiu o risco” para evitar prejuízos financeiros. Desde 2012, o antigo Hospital Nossa Senhora de Lourdes, onde ocorreu a situação, está com nova direção. A Rede D’Or São Luiz reforçou a data em que assumiu o hospital e esclareceu que não comenta processos em andamentos.

A gravidez de Michele teve problemas. A gestação foi considerada de risco em razão do procedimento. “Eu passei 20 dias internadas, quatro deles na UTI [Unidade de Terapia Intensiva]”, contou a paciente ao UOL. Ela conta que procurou o médico responsável pela cirurgia, mas ele se recusou a atendê-la.

O bebê de Michele, hoje com dez anos, nasceu com fenda palatina – uma abertura no céu da boca. Foi operado quando tinha apenas dois anos. “Ele estava perdendo a audição porque parte do que comia ia direto para o pulmão e para o ouvido”, conta a mãe.

Para a desembargadora Clara Maria Araújo Xavier, o “erro médico” contra a paciente “pode ser enquadrado como imperícia, negligência ou imprudência”. METRÓPOLES


Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%