Feira de Santana registra duas mortes por dengue hemorrágica - Feira de Santana | Valter Vieira - Informação de qualidade
22 de fevereiro de 2019
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

FEIRA DE SANTANA - 07/02/2019

Feira de Santana registra duas mortes por dengue hemorrágica

Feira de Santana registra duas mortes por dengue hemorrágica

Classificada como “estado de alerta”, Feira de Santana registra duas mortes de dengue hemorrágica: uma idosa, de Conceição do Jacuípe, que ainda está sob investigação; e uma jovem de 18 anos, do município, que foi confirmado o óbito através de exames laboratoriais. As duas mortes datam a primeira semana do ano até quarta-feira (6), e apesar de não haver um número exato de vítimas, vários casos de dengue hemorrágica já são registrados na cidade, porém não confirmados.


Segundo o diretor do Núcleo Regional de Saúde (NRS), Eddy Gomes, a faixa etária mais acometida pela doença está entre 20 e 29 anos. O gestor explica o que aponta para o quadro hemorrágico é a quantidade de plaquetas através dos exames laboratoriais, além de alguns fatores internos, como fatores sanguíneos que poderão evoluir ou não para dengue hemorrágica.


Ele conta que existe um conjunto de fatores que vai fomentar esse surto: desde a educação da população até mesmo a algum tipo de deficiência por parte das secretarias de não estarem fazendo os bloqueios. Além da quantidade dos agentes de endemias que não é suficiente que demanda o tamanho do município.


Notificações


Nós últimos meses, o número de notificações envolvendo focos do mosquito Aedes Aegypti aumentou significativamente. Apenas em janeiro, deste ano, 732 casos foram registrados e 370 casos foram confirmados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), sendo que 13 bairros devem ficar em alerta quando aos elevados índices. Sendo que todos os casos são de dengue, nenhum de Chikungunya e Zika.


A cidade apresentou primeiro lugar em um ranking de maior número de notificações envolvendo o vetor do Aedes Aegypti, na Bahia. Na manhã da última terça-feira (5), a SMS realizou um encontro com os gestores de saúde e profissionais de endemias para incentivar o processo contínuo do trabalho.


A secretária, Denise Mascarenhas frisou que a população deve manter os cuidados para a cidade não ter uma epidemia. “Nesse momento em que estamos com um número maior de notificação precisamos chamar a atenção da sociedade. É necessário também que as pessoas entendam que notificações não são casos confirmados, mas o número de 590 é elevado e precisamos da colaboração de todos”, disse.


Como forma de prevenção, a Secretaria vem realizando ações efetivas e de conscientização na cidade. “Temos uma equipe de Educação e Saúde, que trabalha de forma constante, fazendo orientações nas comunidades, escolas, igrejas, associações. Pegamos o bairro que tem maior número de notificação e encaminhamos essas pessoas para lá”, conta Francisca Lucia Oliveira, responsável técnica da Vigilância Epidemiológica.


Ela explica que durante essas orientações, são apresentados dados e atos que fazem diferença, como a forma correta de armazenamento de vasilhas, como manter os tanques de água, calhas, todos para evitar a proliferação do mosquito. Também é feito um trabalho com os 258 agentes de endemias que vão de casa em casa, executando um trabalho de fiscalização dos possíveis focos do mosquito.


Em continuidade as ações estratégicas para o combate do transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika, o carro fumacê passará pelos locais onde foram encontrados os focos, sempre das 16h às 22h. Os bairros e regiões mais atingidos são: Lagoa Salgada, Santo Antônio dos Prazeres, SIM, Mangabeira, Brasília, Sítio Matias, Gabriela, Tomba, Feira X, Humildes, Viveiros, Maria Quitéria e Matinha.


De acordo com o coordenador de endemias, Edilson Matos, a população deve tomar alguns cuidados durante a ação do carro fumacê. “Deixar as portas e janelas abertas, para que o inseticida consiga entrar nas residências, retirar animais domésticos da frente das casas e o recolhimento de pessoas com comorbidades para cômodos mais seguros. Vale ressaltar que o trabalho de conscientização também não deve parar, já que 85,5% dos focos foram encontrados dentro das casas”, disse.


Fábio Vilas-Boas


Durante uma visita à Policlínica Regional, na quarta-feira (6), o secretário da Saúde do Estado da Bahia, relatou sobre os elevados índices de dengue, chikungunya e zika. “Com relação a estes casos, a providência deve ser tomada pelos municípios. Sabemos dos riscos de uma epidemia e a população deve ficar em alerta e manter a vigilância, assim como as autoridades da região”, disse.


Campanha de doação de sangue


Na última sexta-feira (1), Maria Cristina Sampaio de Jesus, 40 anos, foi diagnosticada com dengue hemorrágica, no Emec, em Feira de Santana. Amigos e familiares estão sensibilizando a comunidade para que façam a doação de sangue. “Um dia antes de ter sido internada, ela se queixou de uma exaustão muito grande e no dia seguinte fomos informados de que ela estava na UTI do EMEC. A situação dela é muito delicada, as suas plaquetas estão baixas demais e nós pedidos para que a população doe sangue, independente do tipo, pois não é só ela que se encontra com este problema”, disse Ivamara de Oliveira, amiga da Maria Cristina. FOLHA DO ESTADO

Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%