27 de junho de 2022
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

FEIRA DE SANTANA - 01/04/2022

Vereadores tentam audiência entre APLB e Governo, para impedir greve, e são agredidos por guardas municipais

Ouvir a matéria:
Vereadores tentam audiência entre APLB e Governo, para impedir greve, e são agredidos por guardas municipais Os vereadores    Fernando Torres (PSD), presidente da Câmara Municipal, Silvio Dias (PT), vice-presidente, e Professor Jhonatas Monteiro (PSOL), foram agredidos com spray de pimenta por guardas da Prefeitura de Feira de Santana, na manhã desta quinta (31). 
Também participavam da comitiva os vereadores Emerson Minho (DC) e Lu de Ronny (MDB). 

Os representantes do Poder Legislativo acompanharam um grupo de professores da Rede Municipal de Ensino com o objetivo de intermediar uma audiência do prefeito Colbert Martins Filho com  dirigentes da APLB. A categoria deflagrou uma greve por tempo indeterminado, alegando vários problemas, um dos quais a falta de merenda para os alunos nas escolas.

A decisão de tentar o diálogo entre Governo e APLB foi tomada durante a sessão legislativa, após a dirigente sindical Marlede Oliveira pedir na Tribuna Livre o apoio da Casa da Cidadania. 

O presidente Fernando Torres colocou a Câmara à disposição para ajudar em um entendimento e solicitou ao vereador governista Pedro Américo (DEM) que informasse ao prefeito sobre a visita. 

Mas quando o grupo chegou ao Paço Municipal, foi recebido com violência física, inclusive ataque  de spray de pimenta nos olhos. O presidente da Câmara foi surpreendido com um soco, desferido pelo chefe do Gabinete do Prefeito, Fanael Ribeiro. 

Uma professora, atingida pelo spray tóxico, desmaiou e precisou ser conduzida pelo SAMU a um hospital. O chefe da Assessoria de Comunicação da Câmara, Marcos Valentim, também repórter da TV Bandeirantes, filmava o acontecimento e foi mais um a  sofrer a mesma agressão.

O profissional de imprensa, os vereadores Sílvio Dias e Professor Jhonatas Monteiro vão registrar uma queixa na Delegacia de Polícia. Alguns membros da Guarda Municipal, autores das agressões, foram identificados e vão ser denunciados às autoridades.

"É profundamente lamentável que o prefeito tenha autorizado essas agressões contra vereadores e professores que, pacificamente, tentavam um contato com o Governo no intuito de ajudar a buscar uma solução para a anunciada greve, que pode prejudicar a milhares de crianças da Rede Municipal", diz o presidente da Câmara.Por Ascom

Mais notícias