Associação de Apoio ao Paciente com Câncer. Amor voluntário - Saúde | Valter Vieira - Portal dos Municípios
21 de outubro de 2014
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 9120-3503

Notícias

SAÚDE - 26/08/2010

Associação de Apoio ao Paciente com Câncer. Amor voluntário

Associação de Apoio ao Paciente com Câncer. Amor voluntário Diz-se muito que o feirense é solidário. A Associação de Apoio ao Paciente com Câncer (AAPC) é um exemplo disso. Fundada há cerca de oito aos, pelo Dr. José Américo e Solange Luna, que era sua paciente, a instituição dá apoio para quem precisa pernoitar na cidade para realizar exames ou tratamentos, e que não pode pagar pela hospedagem, e também para pacientes carentes de Feira de Santana. Funcionando em uma casa alugada, na avenida Maria Quitéria, 2.476, sobrevive com uma pequena ajuda do governo municipal e doações da comunidade. Quase toda a equipe de trabalho é voluntária.

Segundo Maria Bethânia, presidente da instituição há sete anos, na AAPC os pacientes recebem não apenas o acompanhamento médico necessário, mas, também, carinho, amor, compreensão, elementos fundamentais para elevar sua auto estima e esperança de cura. “Além de ser uma casa de passagem, a AAPC é também um centro de convivência entre pessoas com um problema em comum. E nós temos aqui, assistente social, psicanalista, fonoaudióloga, iridóloga, reiki e outros cuidadores, que trabalham voluntariamente para das a estas pessoas, fragilizadas pela doença, todo a assistência, amor e esperança que elas necessitam. Nós aviamos medicamentos, encaminhamos papéis para aposentadoria, exames, tratamentos, tudo que eles precisarem”, diz Maria Bethânia.

Segundo ela, antes de vir a trabalhar na AAPC, ela já havia detectado que pacientes vindos de outras cidade vizinha, dormiam nos bancos da Estação Rodoviária, pagando R$ 20,00 para passar a noite. “Foi quando vimos a necessidade e utilidade de uma casa de apoio para estes pacientes. Hoje, aqui, nós vivemos como em uma família. Tivemos pessoas aqui que passara dois ou três anos conosco. Outros, infelizmente, faleceram na fila de espera. Nós cadastramos aqui cerca de 10 pacientes por semana, mas são cerca de 600 os que estão sendo acompanhados por nós. A casa é pequena e tem apenas oito leitos, mas quando precisa colocamos colchões no chão dos cômodos, para que ninguém tenha que dormir ao relento ou sendo explorado por gente gananciosa e inescrupulosa”, diz Bethânia.

Radioterapia

Segundo Maria Bethânia, a Radioterapia é de fundamental importância para a cura de pacientes com câncer, que é uma doença que não espera. Uma vez detectada tem que ser logo tratada. “Muita gente já passou por aqui e ficou curada, mas muita gente tem morrido na fila de espera, porque a cidade não dispõe mais do serviço e os pacientes precisam se deslocar para Salvador, Itabuna ou outros centros maiores para realizar suas terapias. Duas pessoas morreram ainda esperando a triagem, para poder ir para Salvador”, diz ela com uma ponta de tristeza na voz.

Apesar do apoio que recebe da comunidade, a AAPC enfrenta dificuldades. “Nós temos muitas despesas, com medicamentos, alimentação, material de limpeza, de higiene pessoal, água, energia, todas aquelas coisas que utilizamos no dia a dia. Agora mesmo, estão nos faltando simples panos de pratos e a despensa também está quase vazia”, revela Maria Bethânia.

Alimentos não perecíveis, roupas, agasalhos, são sempre bem vindos à AAPC. Para contribuir com dinheiro, pode ser feito depósito na Caixa Econômica Federal, agência 1611, conta corrente 0367-0.

Quem quiser mais informações sobre a AAPC pode entrar em contado pelo telefone (75) 3226-5132, ou pelos e-mails: aapcapoio@yahoo.com.br , e aapcapoio@gmail.com

Enquete

Você gostou do novo portal?