Coronel da PM é preso acusado de extorquir empresários no DF - Brasil | Valter Vieira - Informação de qualidade
17 de novembro de 2017
MIN MAX
Envie fotos e vídeos
para nosso WhatsApp
75 99120-3503

Notícias

BRASIL - 14/11/2017

Coronel da PM é preso acusado de extorquir empresários no DF

Coronel da PM é preso acusado de extorquir empresários no DF

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), por meio das promotorias de Justiça Militar (PJM), do Centro de Informações (CI) e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), deflagrou nesta terça-feira (14/11) uma operação contra servidores da PMDF que extorquiam empresários que prestavam serviços à corporação.

O chefe do Departamento de Logística e Finanças da (DLF) da PM, coronel Francisco Feitosa, foi preso na ação, segundo fontes do MP. Ele é suspeito de exigir propina para a liberação dos valores devidos pela corporação aos serviços prestados pelos empresários.

Metrópoles apurou que outros militares lotados no departamento são alvo da operação. As investigações foram realizadas pelo MPDFT com apoio da Corregedoria da PMDF. A operação foi batizada de Mamon, termo derivado da Bíblia, usado para descrever a cobiça.

O comandante-geral da PMDF, coronel Marcos Nunes, disse à reportagem que a corporação está colaborando com as investigações e que não há o que esconder. “Se crimes praticados por policiais militares forem confirmados, vamos cortar na carne. A PMDF sempre foi reconhecida por ser uma instituição livre de corrupção e será mantida assim”, afirmou.

REPRODUÇÃO
reproduçãoPin this!

O coronel Francisco Feitosa é um dos alvos da operação Mamon

Histórico de problemas
Em janeiro do ano passado, mesmo depois de ser denunciado por crime sexual e embriaguez em horário de trabalho — duas situações que foram alvo de apuração interna e constrangeram a Polícia Militar  —, o coronel Francisco Eronildo Feitosa Rodrigues (foto) foi escolhido chefe do Departamento de Logística e Finanças (DLF) do subcomando-geral da corporação.

Ele responde na Justiça por tentar agarrar duas mulheres, entre elas, uma sargento da PM. O coronel está na Polícia Militar há 26 anos. Antes de ser nomeado para o DLF, foi diretor de Execução Orçamentária e Financeira do Departamento de Saúde e Assistência ao Pessoal, do subcomando-geral da corporação.

Com a nova função, ficou responsável por toda a gestão voltada ao aparelhamento e ao pagamento da PMDF. Da compra de viaturas, coletes, rádios e armamentos às obras e reformas de imóveis, tudo sob sua responsabilidade. METRÓPOLES

Enquete

Você concorda com a reforma da previdência?

*Enquete encerrada.
  • 3%
  • 24%
  • 74%